Amizade e namoro – Quando amigo se torna namorado

Quando o amigo se torna namorado

Assuntinho delicado esse de tratar. Já pensou? O que fazer quando aquele ou aquela amigo(a), de verdade, aqueles de fé mesmo, para toda hora, acaba despertando em você um sentimento que, possivelmente, não deveria estar ali: o amor! Amor mesmo, de querer transformar aquela amizade em namoro e a partir daí, só Deus sabe onde vai parar. E é exatamente por isso, por não se saber onde vai parar, que esse sentimento mete tanto medo. Não só medo do que talvez não se venha a conquistar, mas principalmente, daquilo que, porventura, venha a se perder.

Porque não é só o futuro relacionamento amoroso, o namoro, que está em jogo. Além da possibilidade desse amor, desse afeto diferente não ser correspondido, há também a possibilidade de se arruinar um relacionamento afetivo chamado: amizade, que convenhamos, achar um amigo(a) de verdade, hoje em dia, tá tão difícil quanto encontrar o pote de ouro no final do arco-íris. Porque não é com todo mundo que dá pra contar, em quem se pode confiar, conversar e abrir o jogo. Uma verdadeira amizade é tão preciosa, que muitas vezes, quem já passou por isso, pela realidade de ter esse sentimento pela outra pessoa modificado, acabou por optar por não demonstrar ou expor este sentimento, para que a amizade não se acabe, ou não fique “estranho” entre eles.

Não raras vezes está é a escolha feita, abafa-se o sentimento na tentativa de não perder a amizade. Porém, para outros, que escolheram abrir o jogo, falar, demonstrar o sentimento, se expor, dar a cara à tapa, etc., a grande pergunta foi: que amizade verdadeira será esta se, eu não puder contar o que eu estou sentindo. Como vai se dar continuidade a uma relação bonita entre dois amigos, se sempre um terá aquele sentimento importante guardado no cofre a sete chaves? Vai se criando um clima estranho, vai se dando margem a pensamentos do tipo, “algo ele está me escondendo”, ou “o que será que ela tem pra me dizer e não fala?”. É humanamente impossível esconder este nobre sentimento chamado amor. Porque o amor tem que ser vivido, demonstrado, compartilhado e correspondido. Deve-se poder contar aos quatro cantos do mundo que se ama. Amor escondido traz somente alegrias momentâneas, não traz felicidade plena.Amigos e namorados

Alguns tem a sorte e a felicidade de ter seu sentimento correspondido. São os felizardos que abriram o coração e descobriram que, do outro lado, o sentimento também existia, e poderia ser correspondido. Para outros, a sorte não lhes sorriu. O sentimento não foi correspondido e, não raras vezes, o sentimento de rejeição acabou dando um baque na amizade. Porque dificilmente o clima vai ficar o mesmo quando a outra pessoa sabe que, na verdade, o sentimento que a pessoa gostaria de receber de volta não é mais o mesmo. Aí complica tudo mesmo. Mas há quem pense que este é o melhor caminho, arrisca-se a amizade na tentativa de se obter o amor.

Namorar um amigo(a)

Mas há também, aqueles que são impossibilitados de abrir o coração porque, lá do outro lado, aquele coração já é habitado por outra pessoa. Porque, quem disse que pessoa comprometida, casada, em noivado ou namorando não desperta paixões? Há aqueles desafortunados que, além de amar a pessoa com quem tem forte vínculo de amizade, ainda ama alguém que já está em um relacionamento. Aí é quase que um suicídio! Pensa, ter que ouvir declarações apaixonadas do amigo pela namorada, amigo este que pensa estar “se confessando” para alguém que “não lhe quer”. Alguém que ele pensa ser neutro. Ou então, aquele mesmo amigo vem pedir conselhos amorosos em relação à outra pessoa? Quem vai conseguir ser tão imparcial a ponto de dizer, “vai lá, tenta de novo, não deve ser bem assim, invista nesta relação” para alguém que na verdade, você queria que estivesse com você, e não com outro. Acaba que não existirá conselho verdadeiro nessa amizade, e se a sinceridade não acompanha um relacionamento, seja ele de que natureza for, certamente, esse relacionamento estará destinado ao fracasso. Não se vê muitas saídas quando o sentimento muda. Na verdade, sem querer ser clichê, mas a sinceridade é sempre o melhor caminho, e nesse caso, é uma máxima que se aplica.

Mais que amigosOlhando pelo lado bom das coisas, eu acredito que tem alguém aqui que deve estar torcendo muito para que se diga: “vai lá, meu, arrisca tudo, all in!”, porque foi isso que aplicou na vida dele e deu certo! Pensa, agora incentivando quem tá mesmo afim, pensa como deve ser diferente (e muito bom!), namorar alguém que já te conhece de verdade. Alguém com quem você já costumava agir sem frescuras, sem joguinhos de duplo ou múltiplo sentido. Alguém que já sabe o valor que você tem e realmente, te valoriza como você merece. Alguém com quem se pode tratar qualquer assunto, sem medo daquele outro ficar te achando uma pessoa estranha ou esquisita, porque no fundo, sabe como é sua personalidade.

Certamente, será um relacionamento diferente, com base firme e sólida de muita sinceridade. E há quem diga e compartilhe muitas imagens disso no Facebook, que a beleza acaba, a paixão diminui, mas o amor permanece. E ter um amor com que se possa conversar, é um tesouro que se perdurará pela vida toda. Porque beleza eterna não existe, e ainda ninguém encontrou a fonte da juventude, para que um amor seja eterno se baseado somente na beleza do outro. A aparência muda com o tempo, mas uma relação que se baseia na amizade, na sinceridade, na cumplicidade, e na possibilidade de se manter um diálogo sempre aberto, esta sim, está fadada a ser próspera e duradoura.

União que dá certo

Tem um ditado popular que diz que: só não erra quem nunca faz nada. Neste caso não se aplica, pois a omissão também é um ato, ato de calar-se, de decidir abafar um sentimento. Só não é muito saudável, não faz bem para a cabeça, e muito menos, para o coração.

By Juliana on 15/04/2013 · Posted in Mundo Feminino

1 Comment | Post Comment

Diego Francisco Souto Silva says:

Adorei a matéria sobre esse assunto. Me identifiquei com ela pois justamente estou vivenciando esse sentimento.

Posted on June 29th, 2014